João Paulo Costa confirma Doriel Barros na disputa para Mesa Diretora da Alepe

joao-paulo-costa

O deputado estadual João Paulo Costa (PCdoB) confirmou, hoje pela manhã, em entrevista, que a federação Brasil da Esperança (PT, PCdoB e PV) vai lançar Doriel Barros (PT) como candidato à Primeira Secretaria na eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), marcada para o 1º de fevereiro.

Quanto aos dois deputados candidatos à presidência da mesa até agora, Costa disse que ainda não foi decidido quem vai apoiar. “Têm colocados aí Álvaro Porto, que é totalmente legítima a candidatura dele, e também Antônio Moraes, extremamente experiente. Estamos ainda em conversa para, no momento certo definir, o posicionamento da federação e o meu em relação aos candidatos”, explicou.

Em relação à possibilidade de um consenso da casa legislativa, chegando-se a uma chapa única para não haver ‘bate chapa’, Costa disse que, quanto à presidência, não vê hoje um entendimento de Porto e Moraes.

“Eles realmente devem disputar à presidência da casa, o que é totalmente legítimo. Em relação à Primeira Secretaria, Doriel Barros colocou o nome dele. É legítimo que a federação tenha um espaço importante na Mesa, já que somos o terceiro maior bloco da casa, com sete deputados; e a gente trouxe Dani Portela para fazer parte das nossas decisões. O posicionamento que a federação tomar, Dani Portela vai seguir. Então, na verdade, hoje somos um bloco de oito deputados”, explicou.

Eleições 2024
No que diz respeito às especulações sobre os candidatos à eleição municipal em 2024, o parlamentar disse que tem tudo para ser uma disputa polarizada. “Na disputa para prefeito do Recife em 2024, ouvi muitos nomes colocados. Fala-se que a governadora Raquel Lyra vai apresentar um candidato. Fala-se em Daniel Coelho ou na vice Priscila (Krause). Essa discussão que o PT pode ter candidato, que na minha opinião ainda está cedo, existe; de Dani Portela, também já ouvi falar; e o candidato que esteve com Bolsonaro na tentativa de reeleição dele, André Ferreira, deve disputar a prefeitura também”, afirmou.

Apesar da profusão de nomes que estão sendo ventilados, Costa disse não abrir mão do apoio à reeleição de João Campos. “Meu lado é o do prefeito João Campos, que foi quem esteve alinhado com meu presidente, que realmente teve a confiança dos brasileiros para voltar a ser o melhor presidente da história do Brasil”, justificou.

A federação Brasil da Esperança conta com o segundo maior fundo partidário e, consequentemente, segundo maior tempo no guia eleitoral. Se ela não lançar candidato próprio, quem o bloco resolver apoiar contará com tempo razoável de propaganda política. Especula-se o PT, que a integra e é a única sigla que ainda não apoia o socialista, pode vir a ocupar espaço na gestão João Campos dentro da reforma administrativa que ele vem promovendo.

Pelo peso que a federação tem, Costa acredita que PT pode voltar na reforma administrativa que o prefeito vem fazendo. “Acho que pode e já vai ser uma sinalização de a federação estar com João Campos para a reeleição dele. Acho que isso pode acontecer”, revelou.