Governo diz que não bancou ida de Carlos Bolsonaro à Rússia, mas não esclarece gastos Resposta a pedido do STF não informa agenda do vereador naquele país

carlos-bolsonaro-discursando-1589771160526_v2_450x600

O governo de Jair Bolsonaro (PL) informou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que não houve gastos com a ida do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) à Rússia no mês passado. O filho do mandatário acompanhou a comitiva presidencial, ainda que não tenha cargo na gestão federal. A informação foi enviada nesta segunda-feira (14) ao ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito sobre a atuação de uma milícia digital voltada a ataques contra a democracia.

Não foi indicado, porém, como as despesas de transporte, hospedagem e consumo do vereador carioca foram custeadas. A viagem ocorreu entre os dias 14 e 17 de fevereiro.

A resposta ao magistrado constou de ofícios do Ministério das Relações Exteriores e da Secretaria-Geral da Presidência da República. Além de eventuais despesas e diárias, Moraes solicitou dados sobre a agenda de Carlos, que não foi detalhada. Houve indicação apenas dos compromissos de Bolsonaro.