Destacando exportação de frutas, revista aponta Petrolina como melhor cidade para agronegócio

fruticultura-petrolina-696x520

Maior cidade do Sertão pernambucano, Petrolina mereceu destaque da Revista Exame, de circulação nacional, em relação à sua principal atividade econômica. O periódico mostrou que Petrolina prepara-se para mais um recorde na exportação de frutas. Mais de 170 mil toneladas de manga e 50 mil toneladas de uva, os carros chefes da região, devem chegar a mais de dez países, como Estados Unidos, Reino Unido e Espanha neste ano, movimentando mais de R$ 300 milhões.

Com investimentos em novas tecnologias e aumentos constantes em produtividade, o agronegócio em Petrolina registrou um crescimento em 2021 tanto em relação à lavoura permanente como temporária – e, no primeiro semestre, as exportações deram um salto de 48% em comparação ao mesmo período de 2020.

Por esses motivos, Petrolina é a primeira colocada no setor de agronegócio no ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios, elaborado pela consultoria Urban Systems. Na segunda posição está Patos de Minas, em Minas Gerais, e em seguida vem Barreiras, na Bahia.

Essa pujança vem exercendo impactos positivos em importantes indicadores econômicos. Entre janeiro e agosto deste ano, o saldo de empregos ficou no azul, com a criação de quase 8 mil vagas, um resultado 11,5% superior ao do mesmo período do ano passado. Não à toa, 57% dos novos postos de trabalho foram criados no setor agropecuário.

Nesse quesito, a região vai de vento em popa, especialmente no que diz respeito a um dos carros-chefes do agronegócio local, a manga. O município apresenta a maior densidade de plantação da fruta no país, com 12,5 mil hectares de propriedades rurais voltadas ao seu cultivo. Os negócios relacionados à manga são responsáveis por 16.000 empregos diretos na região. A expectativa é que o agronegócio – e a economia – continue em ascensão.

Critérios

O ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios é elaborado anualmente pela consultoria Urban Systems, com exclusividade para a Exame, em seis segmentos econômicos: educação, comércio, serviços, indústria, mercado imobiliário e agropecuária. Para chegar à lista das melhores cidades para o agronegócio, foram analisados doze indicadores, entre eles, a produtividade das lavouras permanentes e o saldo de empregos agrícolas de média e alta renda nas cidades com mais de 100 mil habitantes. Em 2021, a consultoria também avaliou o ritmo de vacinação e taxa de letalidade da covid-19 em cada um dos municípios, no dia 15 de outubro, para uma fotografia de comparação.